Receba nossa newsletter:

Notícias

21/05/2020

13 dicas para aprender como organizar sua vida financeira

Vamos explorar as dicas mais práticas e eficientes para colocar as contas em dia e permitir um controle financeiro maior para toda a sua família. Veja só quais são!
1. Comece agora mesmo
Em vez de achar que a economia doméstica é um sonho, apenas, e que não é possível almejar esse tipo de planejamento, experimente começar a fazer isso agora mesmo.
Avalie as contas, identifique onde os custos estão mais elevados do que o habitual e estipule um teto de gastos para a sua casa. Experimente dividir isso por tópicos, como contas, supermercado e outras despesas variáveis (como lazer, refeições fora etc.).
Ao ter uma percepção clara de quanto você pode gastar, é possível organizar a sua vida financeira de imediato.
2. Estabeleça um planejamento financeiro
O passo seguinte consiste em ter um planejamento financeiro. Ou seja: anotar todos os gastos que você tem e mantê-los em monitoramento com base no teto de despesas que discutimos no tópico acima.
Use uma planilha ou, até mesmo, aplicativos que auxiliam com a disciplina financeira. Por meio dessas ferramentas, basta adicionar os valores de cada gasto para saber o quanto você está dentro, acima ou abaixo dos limites financeiros estipulados — o que facilita e agiliza a tomada de decisão.
3. Avalie as dívidas financeiras
Não há como organizar sua vida financeira sem, antes, identificar a existência de eventuais pendências.
Cheque quais são as contas atrasadas, qual é o real valor total das dívidas e, também, quais são as taxas, multas e juros relativos a cada um dos débitos.
Com isso, você entende melhor onde direcionar os esforços para quitá-los, gradualmente, de maneira segura e sem afundar-se em mais dívidas financeiras esse período.
4. Crie uma reserva emergencial
Imprevistos ocorrem e são inevitáveis, muitas vezes. Bom exemplo disso é a recente crise pandêmica em decorrência do vírus Covid-19 e que, como resultado, tem colocado em xeque o planejamento financeiro e o bem-estar de muitas pessoas ao redor do mundo inteiro.
Acontece que, se você der o primeiro passo para a elaboração de uma reserva de emergência, essas situações imprevistas podem ser menos prejudiciais.
Afinal de contas, você já vinha direcionando recursos para manter-se diante de qualquer situação problemática, independentemente de qual seja.
Portanto, adicione ao seu planejamento financeiro uma quantia (por menor que seja) para que, mensalmente, você construa um patrimônio que deve ser usado, exclusivamente, diante de custos que não podem ser evitados e que vão extrapolar o orçamento do mês.
5. Tenha objetivos
Então você já sabe quais são os primeiros passos para aprender como organizar sua vida financeira, mas é importante ter em mente o que você deseja conquistar por meio disso.
Pois sem um objetivo, muitas pessoas têm dificuldades para manter a educação financeira aplicada no dia a dia: falta algo, uma recompensa e/ou gratificação em poupar mensalmente. Para tanto, experimente definir algumas metas curtas ou longas, como:
- viajar nas próximas férias;
- comprar um automóvel;
- quitar o imóvel (ou dar entrada em um);
- investir para a educação futura dos seus filhos.
Sempre pense em questões que vão colocar o hábito de poupar e gastar menos, muito mais proveitosos.
6. Evite acumular e assumir novos débitos
É inegável que muita gente tende a assumir novas dívidas em decorrência de empréstimos, acontece que isso costuma ocorrer justamente por conta de um planejamento pouco explorado e exercitado.
Portanto — e especialmente em tempos de crise —, evite gastos desnecessários. Mantenha-se no limite de gastos para evitar que a única solução, para chegar ao fim do mês, seja jogar um boleto para o mês seguinte ou até mesmo solicitar empréstimos ou fazer uso do cheque especial (que tem juros elevadíssimos).
7. Planeje as idas ao supermercado
Faça uma lista antes de sair às compras. Tenha a certeza de que você vai acrescentar ao carrinho somente aquilo que consta na lista. Isso evita os gastos impulsivos e mantém o orçamento sob controle.
Além disso, vale muito a pena pesquisar os preços antes de sair de casa. Avalie quais são as melhores ofertas, se as marcas similares às suas favoritas (e, normalmente, mais acessíveis) têm boa procedência e procure na internet por cupons de desconto.
Muitas vezes, os descontos podem parecer baixos, em uma só compra, mas você percebe as vantagens disso de maneira gradual, semana após semana, reduzindo os gastos com supermercado e outras despesas.
8. Converse com toda a família
Experimente reunir-se com a família e explique toda a situação: os problemas, os objetivos e os desafios para conquistá-los. A mobilização deve ser coletiva para que todos entendam a situação e possam fazer a sua parte, seja:
- reduzindo gastos;
- conscientizando-se a respeito do consumo de água e energia elétrica;
- buscando maneiras de agregar mais renda ao orçamento familiar.
E de outras formas que vão mostrar não apenas como organizar sua vida financeira, mas a fortalecer os laços entre os seus entes queridos.
9. Venda o que não é mais necessário
Por falar em renda extra, é importante checar se todos os bens que você possui em casa são, de fato, necessários. Às vezes, você pode encontrar boas oportunidades comerciais para adquirir um dinheiro que não estava previsto — e que pode ser de grande valia para enfrentar as contas até o final do mês.
10. Tenha disciplina
Vale a pena, também, trabalhar o aspecto psicológico e emocional. Como a sua família lida, normalmente, com a renda mensal? Se existe um claro descontrole nas despesas, é importante monitorar os motivos pelos quais isso acontece.
Se são compras por impulso, por exemplo, a disciplina tem que ser trabalhada constantemente para que as recaídas não ocorram — ou que aconteçam minimamente possível. Daí, inclusive, a importância em abrir o jogo com os familiares: quem melhor do que eles para ajudar a atravessar esse período de desafios?
11. Invista seu dinheiro
Tendo objetivos, uma quantia mensal planejada para ser poupada e os hábitos de economia inseridos no dia a dia, é hora de saber o que fazer com a renda que sobra após todas as contas do mês terem sido quitadas.
E, a nossa dica é: invista esse dinheiro.
Além de evitar que você faça compras e coloque o planejamento financeiro a perder, o investimento gera rentabilidade de maneira contínua. Algo que permite o alcance ainda mais rápido dos seus objetivos financeiros.
Basta, apenas, identificar as melhores opções de investimento para que você não corra riscos, possa resgatar o seu patrimônio sem perdas e obtenha lucros de maneira consistente.
12. Cuidado com o efeito manada
Sabe quando alguém diz que não tem perigo ou risco, fazer algo, mas ela não tem argumento nenhum para sustentar essa hipótese? Pois então, isso acontece também quando o assunto são as finanças.
Por isso, evite entrar na onda de que “as coisas estão bem” quando tudo ao redor não condiz com tal afirmação. Em época de tanta popularidade com as fake news, informe-se sempre por conta própria, em primeiro lugar, para tomar as suas próprias decisões sobre determinado assunto.
Assim, você blinda a sua família de seguir alguém que opinou por pura precipitação. E garante, por consequência, mais segurança para o seu patrimônio e para o bem-estar da sua família.
13. Procure por auxílio profissional
Por fim, uma dica que vale a pena ser considerada — especialmente, para quem tem dificuldades para seguir as dicas aqui citadas — é a contratação de serviços especializados.
 
 

Mais notícias

Atendimento

Segunda à sexta: 08h30 às 18h Sábado: horário marcado

Blumenau

Rua Goiás, 386, Garcia, Próx. à Souza Cruz
WhatsApp 47984383552
47 3037 7929

Rio do Sul

Rua XV de Novembro, 303, Galeria do Cinema
WhatsApp 47984849294
47 3522 1010
LiveZilla Live Help